Juiz determina que procurador que agrediu chefe realize exame de sanidade mental

A decisão é para comprovar se Demétrius realmente tinha consciência quando foi agressivo com a colega

Por Redação 29/07/2022 - 13:11 hs

Nesta sexta-feira (29), procuradora-geral que foi agredida em ambiente de trabalho na cidade de Registro, Gabriela Samadello Monteiro de Barros, publicou em suas redes sociais sobre a suspensão do processo contra o procurador, Demétrius de Oliveira Macedo, que foi preso após agredi-la.

Segundo informações, na data desta quinta-feira (28), o juiz da primeira vara criminal de Registro, determinou a suspensão do processo e a instauração de um incidente de insanidade mental, por parte de Demétrius.

A decisão é para que o agressor passe por um exame de sanidade mental, com o objetivo de verificar se ele tinha consciência quando espancou Gabriela.

Ainda de acordo, a perícia será realizada pelo Instituto de Medicina Social e de Criminologia de São Paulo (IMESC). O teste será realizado pela psiquiatria forense de Guido Palomba, no Centro de Detenção Provisória (CDP) II, onde Demétrius está preso.

O juiz determinou um prazo de dez dias para a Prefeitura de Registro enviar um último exame médico ocupacional.

Fonte: G1 Santos e Região

Resumo do caso:

Na tarde desta segunda-feira (20/6), a servidora municipal, Procuradora Gabriela, foi covardemente agredida por outro servidor municipal, o Procurador Municipal Demétrius, dentro do Departamento Jurídico da Prefeitura de Registro.

Outras duas mulheres, também servidoras municipais, seguraram e separaram a vítima do agressor. Em vídeo que circula pela internet é possível ver o agressor sobre a vítima desferindo socos, pontapés e proferindo xingamentos e ameaças.

O agressor já havia sido exonerado da prefeitura em 2020 pela administração anterior, mas voltou ao cargo após recorrer na justiça. Segundo apuramos, a motivo da agressão teria sido um novo pedido de exoneração, feito pela vítima.

Leia mais