Seminário no Vale do Ribeira propõe discussão sobre desenvolvimento sustentável

Evento contemplou uma programação com palestras sobre ecoturismo, sistemas agroflorestais e visita a campo de plantação

Por Redação 21/02/2020 - 14:00 hs
Foto: Divulgação/Governo de SP

O VI Seminário Projeto SAF Juçara foi realizado em 12 de fevereiro na sede da Associação Nipo-Brasileira do Bairro da Raposa e Região, em Sete Barras, no Vale do Ribeira. O evento promoveu uma programação com palestras sobre ecoturismo, sistemas agroflorestais, plantio e visita a campo de plantação.

Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado (SIMA), por meio do Instituto Florestal (IF), participou do seminário, que buscou propor uma reflexão e expor os resultados do Projeto Sistemas Agroflorestal (SAF) Juçara, baseado na valorização da biodiversidade do ecossistema e no conhecimento da população local, que promovam a produção de bens e serviços de forma sustentável para agricultores familiares da região.

O pesquisador científico aposentado do IF Guenji Yamazoe realizou a abertura do evento ao representar a ONG Versta, seguido pelo pronunciamento do diretor-geral do IF, Luis Alberto Bucci. “O Governo de São Paulo fornece as mudas, a logística, orienta sobre as técnicas de adubação orgânica e compostagem. Essa atividade desenvolvida em pequenas áreas, de 5 ou 10 mil metros quadrados, pode ser mais uma alternativa de fonte econômica para o agricultor”, explicou o gestor.

Na ocasião, o pesquisador científico Ocimar Bim apontou a importância da participação do Instituto Florestal no evento. “O IF é um grande colaborador, patrocinador e possui o conhecimento do manejo florestal. Também ajuda na legislação ambiental e é considerado um trabalho de extensão, já que se trata de atuação fora de uma unidade de conservação, além de valorizar a instituição e se aproximar dos agricultores e técnicos regionais”, destacou.

Importância ecológica

A Juçara é uma espécie endêmica da Mata Atlântica, ou seja, não é encontrada em mais nenhum outro lugar. Além disso, a palmeira tem grande importância ecológica: os frutos alimentam cerca de 70 espécies de animais, principalmente aves. Atualmente, a planta está ameaçada de extinção por causa da intensa exploração que sofre pela extração de palmito, já que, após a retirada do fruto, a palmeira morre.

Nesse sentido, promover a conservação e uso sustentável da Juçara na região de Sete Barras, onde ocorre naturalmente, com objetivo de desenvolvimento rural sustentável, alia a melhoria na qualidade de vida da população, com a recuperação da palmeira e do ecossistema da Mata Atlântica.

“Esse caminho da sociobiodiversidade, que concilia a ciência e a pesquisa para conseguir que os produtos da floresta gerem um tipo de renda para as comunidades, é fundamental, pois faz com que as pessoas ajudem a manter a floresta em pé”, avaliou o pesquisador científico Ocimar Bim.

O evento foi organizado pela Versta, com a Associação Nipo-Brasileira do Bairro da Raposa, e apoio da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado, Fundação Florestal, Prefeitura de Sete Barras e Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Os interessados podem obter mais informações pelo telefone (11) 2231-8555.














-->