Polícia Ambiental prende caçador com espingardas e partes de animais silvestres em Registro

Caso ocorreu no bairro Peroupava, localizado na zona rural da cidade. Homem não tinha a documentação de uma das espingardas encontradas pela polícia

Por Gabriel Henrique, Redação 21/05/2020 - 16:00 hs
Foto: Divulgação/Polícia Ambiental
Polícia Ambiental prende caçador com espingardas e partes de animais silvestres em Registro
Homem é preso por caça ilegal de animais silvestres em Registro

 

A Polícia Militar Ambiental prendeu um homem por caça ilegal de animais silvestres e posse de arma de fogo. Com ele, foram encontradas espingardas, munições e partes de animais abatidos na caça. O caso ocorreu em Registro.

De acordo com as autoridades, na terça-feira (19), por volta das 14h00, policiais ambientais realizavam um patrulhamento pelo bairro Peroupava, zona rural do município, quando avistaram um indivíduo no km 13,5, andando a pé pela estrada carregando um saco de linhagem nas costas.

Segundo a polícia, ele demostrou nervosismo ao perceber a viatura e começou a apalpar o saco que carregava, como se estivesse acomodando algum objeto dentro, e continuou andando sem olhar mais para trás.

Os agentes deram voz de parada ao indivíduo, que não obedeceu e fugiu pela mata às margens da estrada. Os policiais realizaram um breve acompanhamento a pé e conseguiram alcançar e deter o indivíduo.

Na vistoria pessoal, foram localizados, dentro da calça, paralelo à perna, um cano de espingarda calibre 32. A munição da espingarda foi encontrada no bolso traseiro da calça, já no saco em que ele carregava foram localizados mais munições, duas lanternas, uma rede tipo "giral" para caça de espera e a coronha com mecanismos, além da telha da espingarda.

Questionado sobre documentação da arma de fogo e das munições, o rapaz disse que possuía, mas que o documento estaria em sua casa. Os policiais, então, decidiram acompanhá-lo até a sua residência. Ele ainda foi perguntado se havia algo de irregular em sua casa, mas negou o questionamento.

Já na residência do suspeito, os agentes viram outra espingarda, calibre 28, desmontada, e um couro de jacaré. Ao realizar a vistoria pelo imóvel, foram encontrados diversos materiais relacionados à prática de caça, como partes congeladas de um tatu-mirim e um quati-mondel, munições, três potes contendo pólvora, chumbo e espoletas, além de cinco pios, que são utilizados para chamar animais, e uma armadilha do tipo "jequi", para caça de tatu.

Em relação ao documento da espingarda encontrado com o indivíduo no momento da abordagem, foi apresentada Carteira de Registro, vencida no dia 23 julho de 2013. No caso da outra espingarda, encontrada desmontada dentro da residência, o rapaz declarou não possuir qualquer documento.

Diante dos fatos, o rapaz foi encaminhado para a 2ª Delegacia de Polícia de Registro, junto com todo o material encontrado que foi apreendido pelas autoridades. Na esfera administrativa, foi lavrado em desfavor do envolvido o Auto de Infração Ambiental, com aplicação de penalidade de multa simples no valor de R$ 2 mil.

Após a apresentação da ocorrência, o delegado responsável, com base na decisão do Supremo Tribunal de Justiça, devido à pandemia do COVID-19, deixou de ratificar a prisão em flagrante delito, determinando a lavratura do Auto de Exibição e apreensão do material.

 

 














-->