Estado rebaixa Vale do Ribeira para a fase vermelha do ‘Plano SP’

Apenas serviços essenciais poderão funcionar a partir de segunda-feira (3)

Por Redação 31/07/2020 - 13:00 hs
Foto: Divulgação/Arte-SP
Estado rebaixa Vale do Ribeira para a fase vermelha do ‘Plano SP’
Vale do Ribeira é rebaixado para a zona mais restritiva do Plano São Paulo

 

O governo de São Paulo anunciou na tarde desta sexta-feira (31) o retrocesso da região do Vale do Ribeira da fase amarela para a fase vermelha da flexibilização econômica de reabertura do comércio, devido ao aumento do número casos de Covid-19. Com o rebaixamento, apenas os serviços considerados essenciais poderão funcionar a partir da segunda-feira (3). A região se manteve por duas semanas na fase amarela do plano.

Segundo o Governo, entre os indicadores que justificaram a mudança de fase do plano de reabertura econômica, estão a taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e aumento do número dos casos de contaminação pela Covid-19.

De acordo com dados divulgados pelo Centro de Contingência do coronavírus de São Paulo, o Vale registrou 71,3% na ocupação de leitos de UTI, apresentou o aumento de 2,30 no número de casos, 1,30 de internações e 7,00 no número de óbitos.

“Como vocês podem ver os números nessa região foram muito diferentes. Nós atingimos 85% de ocupação de leitos na região, também tivemos um aumento muito grande de internações e de óbitos e é por isso que na próxima página, nessa nova atualização, a região do Vale do Ribeira retrocede para a fase vermelha”, disse a Secretária de Desenvolvimento econômico Patrícia Ellen.

As atividades não essências, como comércios de rua e shoppings, deverão fechar a partir da próxima segunda. A Baixada Santista e a cidade de São Paulo continuam na fase amarela do Plano.  Esta foi a 9ª atualização do Plano SP.

CONTINUA APÓS PUBLICIDADE 

Registro

Um novo decreto municipal foi publicado no Diário Oficial Eletrônico do Município nesta sexta-feira indicando as novas medidas de prevenção ao coronavírus na cidade. 

“O momento pede cautela e cuidados. Para o bem-estar da população e para poder salvar vidas, o retrocesso se faz necessário” declarou o prefeito, por meio de nota divulgada pela Prefeitura de Registro.

Cajati

Em nota, a administração municipal informou que as medidas a serem adotadas no enfrentamento a pandemia, doença causada pelo novo coronavírus estão disponíveis no Decreto Municipal (1.626/2020) e atendem a recomendação do Ministério Público de São Paulo (MP-SP).

Novos leitos 

O Secretária Estadual de Desenvolvimento Regional, Marcos Vinholi, e o secretário de Saúde do Estado, Jean Carlo Gorinchteyn, anunciaram nesta quinta-feira (30), durante uma visita à região, 20 novos leitos no Hospital Regional de Registro (HRR). Os dez primeiros leitos de tratamento intensivo estarão funcionando já na semana que vem.

No caso do Hospital Regional Dr. Leopoldo Bevilacqua (HRLB), localizado em Pariquera-Açu, foi disponibilizada uma nova ambulância UTI. 

Com isso, a capacidade hospitalar do Vale do Ribeira se torna 35% maior.

Casos no Vale do Ribeira

De acordo com o último levantamento realizado com as prefeituras dos municípios, nesta quinta-feira (30), o Vale do Ribeira soma 3.890 casos confirmados e 89 mortes pela doença. As cidades do Vale ainda monitoram 1.279 casos suspeitos do vírus e registram 2.812 pacientes recuperados do coronavírus.

CONTINUA APÓS PUBLICIDADE 

Plano São Paulo

Denominado Plano São Paulo, a proposta prevê cinco etapas. As regiões serão classificadas em fases por cor, de acordo com os critérios definidos pela secretaria estadual da Saúde e pelo Comitê de Contingência para Coronavírus.

As cinco fases do programa vão do nível máximo de restrição de atividades não essenciais (vermelho) a etapas identificadas como controle (laranja), flexibilização (amarelo), abertura parcial (verde) e normal controlado (azul). O objetivo da classificação é assegurar atendimento de saúde à população e garantir que a disseminação do coronavírus em níveis seguros para modular as ações de isolamento.

O que pode funcionar em casa fase

Fase 1

Construção Civil
Indústria não essencial 

Fase 2

Construção Civil
Indústria não essencial
Atividades imobiliárias (aberto com restrições)
Concessionárias (aberto com restrições)
Escritórios (aberto com restrições)
Shopping Center (aberto com restrições)
Comércio (aberto com restrições)

Fase 3

Construção Civil
Indústria não essencial
Atividades imobiliárias
Concessionárias
Escritórios
Shopping Center (aberto com restrições)
Salão de beleza (aberto com restrições)
Bares, restaurantes e similares (aberto com restrições)
Comércio (aberto com restrições)

Fase 4

Construção Civil
Indústria não essencial
Atividades imobiliárias (aberto com restrições)
Concessionárias (aberto com restrições)
Escritórios (aberto com restrições)
Shopping Center (aberto com restrições)
Salão de beleza (aberto com restrições)
Bares, restaurantes e similares (aberto com restrições)
Comércio (aberto com restrições)
Academias (aberto com restrições)

Fase 5

Espaços públicos
Teatros e Cinemas
Eventos que promovam aglomerações, incluindo os esportivos
Construção Civil Indústria não essencial
Atividades imobiliárias
Concessionárias
Escritórios
Shopping Center
Salão de beleza
Bares, restaurantes e similares
Comércio
Academias

 

 














-->