Hospital Regional de Registro realiza primeira captação de órgãos para transplante

Procedimento foi feito no último dia 12 e marca o Setembro Verde, mês de conscientização sobre o tema

Por Redação 23/09/2020 - 12:26 hs
Foto: Divulgação/HRR
Hospital Regional de Registro realiza primeira captação de órgãos para transplante
O doador foi um homem de 59 anos, morador de Peruíbe, no litoral paulista

 

O Hospital Regional de Registro (HRR), no Vale do Ribeira (SP), realizou a primeira captação de órgãos para transplante na madrugada do último sábado (12), em pleno Setembro Verde, mês dedicado à sensibilização da sociedade para a importância da doação para salvar vidas.

Segundo o hospital, todo o processo foi conduzido pela Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) implantada na unidade, que acionou a Organização de Procura de Órgãos do Hospital das Clínicas (FMUSP-HC) assim que foi diagnosticada a morte encefálica do paciente e também realizou a entrevista com a família do doador.

CONTINUA APÓS PUBLICIDADE 

"Para que todo o processo tivesse sucesso, a atuação rápida da equipe após o diagnóstico do paciente foi muito importante para a preservação dos órgãos. Mas nada seria possível sem a aceitação da família, que conseguiu transformar a dor da perda em esperança para outras pessoas que dependem do transplante para viver", enfatiza a diretora técnica do HRR, Dra. Manuella Amaral Faria.

O doador foi um homem de 59 anos, morador de Peruíbe, que deu entrada na unidade no dia 7 de setembro com quadro de AVC (Acidente Vascular Cerebral) hemorrágico. Após todo o protocolo para diagnóstico de morte encefálica, a equipe médica considerou viável a captação dos rins do paciente para doação.

Ocupação de leitos de UTI para Covid cai para 41% no Vale do Ribeira

A família relatou ter atendido o desejo do doador. "Ele não deixou por escrito, mas tinha falado que queria doar os órgãos. Como tem tanta gente que precisa aguardando na fila do transplante, foi uma benção ele poder doar os rins. Foi uma decisão difícil, mas hoje estamos conformados por ele ter contribuído com outras vidas", afirma a irmã.

Antes do procedimento para captação dos rins, a equipe de plantão realizou a caminhada do respeito no trajeto entre a UTI e o Centro Cirúrgico, um gesto simbólico em homenagem à memória do paciente que tem como objetivo de se solidarizar com a família do doador.

"Poder contribuir com o transplante de órgãos é um passo muito importante para o HRR. Temos estrutura e equipe qualificada para conduzir todo o processo e é gratificante ver o resultado positivo. Em meio à dor da perda, a doação de órgãos ressignifica a morte e transforma a tristeza em ato de amor", pontua a diretora técnica do HRR.

A unidade destaca que seguiu todos os critérios técnicos definidos pelo Ministério da Saúde para a triagem dos candidatos à doação de órgãos.

 














-->