Campanha alerta população sobre violências cometidas contra crianças e adolescentes

Ação aborda sobre o enfrentamento da violência sexual, do trabalho infantil e da violência física contra meninas e meninos

Por Redação 24/11/2020 - 16:56 hs
Foto: Reprodução/Agência Brasil
Campanha alerta população sobre violências cometidas contra crianças e adolescentes
Campanha alerta população sobre violências cometidas contra crianças e adolescentes

 

Com o objetivo de alertar para as situações de violência sexual, do trabalho infantil e da violência física sofridas pelas crianças e pelos adolescentes e convocar cada pessoa a prevenir e denunciar, está sendo lançada a campanha “A proteção de crianças e adolescentes está em suas mãos”, uma realização do UNICEF em parceria com Ministério Público do Trabalho (MPT), Agenda Pública e Instituto Camará Calunga.

A campanha faz parte da iniciativa Crescer com Proteção, desenvolvida em oito municípios do litoral sul paulista a partir deste ano. No Vale do Ribeira, a ação acontece em Cananéia, Ilha Comprida e Iguape.

A campanha conta com vídeos em animação, com exemplos de violências que ameaçam as crianças e os adolescentes e precisam ser sempre prevenidas e denunciadas. Acesse no link o vídeo que reúne todas essas histórias.

Um spot de rádio e artes digitais também estão disponíveis e levam as mensagens da campanha para as redes sociais. Em paralelo, cartazes estão sendo distribuídos em escolas, unidades básicas de saúde, conselhos tutelares, secretarias e prefeituras, chamando atenção sobre a necessidade de se enfrentar essas violências, mudar posturas e denunciar por meio do Disque 100. 

No conjunto dos municípios participantes da iniciativa, em relação à violência sexual, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública, foram registrados 238 estupros de vulnerável (crianças e adolescentes de até 14 anos) ao longo do ano de 2019 – uma média de quatro estupros contra crianças registrados por semana nos oito municípios

No mesmo ano, em 2019, mais de três mil casos de agressão física foram registrados; em média, um caso a cada três horas. Se somados os casos dos oito municípios de atuação do Crescer com Proteção, são 3.179 ocorrências de lesão corporal dolosa, principal classificação legal que cobre as muitas formas de violência física.

Já segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em relação ao trabalho infantil, os últimos dados disponíveis (2010) indicam cerca de 11 mil crianças e adolescentes trabalhando de forma inadequada ou proibida; mais de 1.400 eram crianças de até 13 anos trabalhando fora de casa. Havia ainda nesse grupo mais de 8.500 adolescentes com idade entre 14 e 17 anos trabalhando sem ser na forma de aprendiz – o que representa mais de seis vezes o número de adolescentes trabalhando como aprendizes nesse conjunto de municípios, que eram 1.346 em 2017 (Fonte: Smartlab; IBGE – Censo Demográfico 2010; Rais 2017).

 














-->